Atualize seus favoritos: agora o blog é .com.br

Bonitos, tenho duas novidades: a primeira é que o Deborices já tem um fanpage bem bonita. É só clicar aqui e curtir.

A outra novidade é que o blog agora é .com.br. Então atualizem seus favoritos porque essa é a última atualização que vocês vêem por aqui!

A partir de hoje, todo mundo partiu pro www.deborices.com.br, ok?

Publicado em Bem bonito | Deixe um comentário

O consumismo que a gente escolhe

Uma coisa que minha sogra sempre diz é que quem consome muito o tempo todo é frustrado e está tentando acalmar essa frustração. Parece verídico, né mesmo? A gente não se sente feliz com o que tem e fica procurando um não sei o quê que faz a maior falta. Mas uma coisa que eu aprendi é que ser assim é questão de escolha. Eu, por exemplo, escolhi parar.

Explico: eu estava em um emprego bacana, ganhando bem o suficiente pra manter meus “luxinhos”. Comia fora umas três vezes por semana, comprava roupa ou maquiagem nova umas duas. Nunca fui de comprar coisas caras, sempre fui fã de uma boa pechincha e um brechózinho. Mas em quantidade o barato sai caro também e a verdade é que meu dinheiro ia pra um buraco sem fundo.

Quando saí desse emprego, aproveitei o tempo pra me questionar onde esse consumismo estava me levando. Descobri que minhas contas eram, ahm, maiores do que eu poderia pagar com o que ganhava (quem nunca?). E sabe qual minha maior justificativa pra fazê-las? Uma coisa que eu achava que era amor próprio, mas era só pena de mim mesma.

Veja se você reconhece essa frase “Eu trabalho tanto, me dedico tanto, que se nem esse par de botas/casaquinho/batonzinho/sorvetinho eu puder comprar, não vale a pena”. Reconheceu, né? Você é a autora dela, diz isso pra si mesma cada vez que fica triste com seu ritmo de vida. Só que é essa frase que me levava a comprar batonzinhos mil e nunca ter dinheiro pra investir num carro, na entrada de um apê, numa viagem bacana… E pra pagar eu sacrificava os jantares com o noivo em casa, um bom livro ou tempo pra almoçar (sem cansaço) com a família no domingo.

Eu tenho uma teoria sobre isso: somos filhos de baby boomers, aquela geração que trabalhava pra caramba (incluindo mamães) e que voltava pra casa com presentes pra gente pra compensar. Então a gente aprendeu que tá tudo ok se presentear. O que ninguém para pra pensar é no quão burro isso é: a gente se mata pra ganhar mais dinheiro e gasta mais pra não se sentir perdendo algo com isso.

Esse mal é especialmente tortuoso pra mulheres: os filmes, revistas e séries dizem que a gente tem que ser independente e ter uma carreira de sucesso e trabalhar mil horas semanais. E que depois a gente tem que pegar esse dinheiro e gastar todo em creme pra cabelo porque não adianta nada ser independente se você não é bonita, feminina e chiquérrima e fina. Você só pode ser feliz com os sapatos certos.

[Pra mim, isso não é liberdade, é transferência de propriedade. Antigamente, nossos donos eram nossos pais e maridos - que podiam ser uns trogloditas mas tinham alguma ligação emocional conosco. Hoje, são os detentores do capital, os nossos chefes que dominam nosso tempo e os produtores de sapatos que dominam nosso dinheiro. Não, eu não sou contra o feminismo - sou a favor de mulheres independentes de verdade. Felizes com o que produzem e com o que compram e com o que investem seu tempo. Mas isso fica pra outro post ;).]

Agora me conta aqui: não daria na mesma diminuir a velocidade, optar por salários mais baixos, mas felicidade de verdade? Por menos consumo e mais vida real?

Eu resolvi trabalhar em casa. Não tenho tanto volume de serviço como tinha na agência, nem tanto dinheiro. Mas tenho muito, muito tempo pra mim. Eu consigo cozinhar minhas próprias refeições, cuidar da minha própria casa e manter minha vida num bom curso. Eu tenho tempo pra ir ao médico quando preciso, pra ir a um banco, pra ir a feira e ao mercado no dia de oferta. Eu tenho tempo de curtir minha família, de ler um livro e assistir filmes legais. E isso me preenche de forma tão completa que parece até piegas dizer.

A maior dificuldade que achei que ia sentir era a de ir a um shopping e não comprar tudo que eu gostasse. Mas eu fiquei mais crítica e, muitas vezes, saio às compras e volto de mãos abanando. Agora, eu sei que só mereço o melhor. Então, se o preço não vale a pena, a costura não é ótima, a cor não combina, o caimento não me favorece… Hmmm, tchau! Não vou comprar, não!

No último quinto dia útil eu cortei caminho pelo Shopping Mueller (coisa que faço sempre, moro super perto) e percebi uma movimentação incomum: era o quinto dia útil e semana de liquidação – as pessoas estavam desesperadas pra comprar. Não sabiam nem o que, nem o porquê sairam de casa, mas queriam comprar, comprar, comprar e comprar mais um pouco. Eu achei estranho aquilo, vim pra casa e, enquanto fazia um bolo, percebi que eu era parte dessa massa há 3 quintos dias úteis atrás.

Eu não preciso mais tapar buracos e acho que isso é só o que eu busquei a vida toda. Mas, sabem, eu só consegui quando entendi o porquê ia parar de consumir. Meu objetivo maior era viver bem com minha família e ter paz de espírito – a forma que consegui isso foi diminuindo o ritmo de trabalho e trocando dinheiro por tempo. Pode ser que o que você queira seja fazer uma viagem incrível e conhecer outro país. Ou pode ser que seja comprar seu carrinho e ser mais independente com isso. Ou pode ser que seja trocar de carreira, começar do zero e finalmente fazer o que você gosta.

Não importa o que seja que te move, você precisa descobrir. Porque quando você descobre, não tem mais buraco pra tapar, sabe? Você tá completa. Eu acho que o principal sobre isso é que não devemos ir nem tanto ao mar nem tanto a terra muito menos julgar a escolha alheia: pode ser que você descubra que gosta muito do seu trabalho e que ele te preenche e você não precisa gastar cada níquel em presentes pra si mesma – e isso é ok. Ou pode ser que descubra (como eu) que quer fazer uma parceria com o seu marido, ficar em casa cuidando das coisas e trabalhando menos e ter mais tempo pra sua família. Isso também é ok. Pode ser que você descubra que quer viajar o mundo vendendo velas aromáticas – o que também é ok. Entenderam? Toda forma de vida que te preenche e realiza é ok.

O que não é ok, o que a gente tem que parar de achar normal é essa busca por se recompensar com presentes que não precisamos. Você pode repetir roupa, gata. O que você não pode é continuar infeliz e frustrada.

Publicado em Confessionário | Marcado com , , , , | 13 Comentários

Chocolate quente com conhaque – hmmmm!

O inverno chegou de vez, bonitas! Agora num dá mais pra fugir do friozinho – vamos todas virar pinguins. Mas, olha só, vocês tem sorte: vocês tem a Debs pra trazer uma receita feliz e gostosinha pro inverno ficar mais quentinho.

Essa aqui é de família, hein: o noivinho (#chumbreguices) fazia pra mim nos dias frios lá no começo do namoro.

[Daí eu cometi a besteira de pedir a receita e ele nunca mais fez. Aprendam essa dica pra vida, meninas: quando seu amorzim faz algo gostoso pra te mimar nunca peça a receita.]

Já que ele tinha jogado a receita na hands mesmo, que mal tem deixar mais gorda, né? Pesquisei e descobri que leite condensado enriquece o drink e já dei meu toque de felicidade pra coisa toda. Quer fazer igual? Anota aí:

Receita de Chocolate Quente do Amor (by Malk, com xablau especial da Debs):

Ingredientes

  •  1/2 caneca de chocholate meio amargo ralado ou de xarope de chocolate
  • 1 + 1/2 caneca de leite
  • 1/2 lata de leite condensado
  • 1/2 lata de creme de leite
  • 1 dose de conhaque

Modo de preparo

Ferva o leite em fogo baixo, acrescentando o chocolate ralado e mexendo delicadamente. Quando o chocolate se misturar ao leite, acrescente o leite condensado e o creme de leite, sem parar de mexer. Assim que levantar fervura, adicione a dose de conhaque, mexa bem e sirva na caneca.

Eu sempre acrescento chantilli e polvilho com canela pra deixar tudo com cara de coisa bonita!

E aí, deu pra esquentar? Então abraça seu amorzinho embaixo da coberta, solta play num filme bem jacu e aproveita esse inverno, bonita!

Publicado em Gostosuras | Marcado com , , , , , , , | 14 Comentários

Flores pra decorar

Desde que eu e meu noivo nos mudamos pra nossa humilde residência que eu tenho essa obsessão por flores. Parece que minha casa num tem graça sem elas, sabe? Fica tudo com uma carinha #chatiada mesmo.

Não que eu seja a jardinista, mas sempre compro um vasinho de flor aqui, apanho uma flor acolá… E assim a sala vai ganhando vida.  Eu sempre estou atrás de inspirações floridas pra decorar. Como essas aqui:

Pesquisando direitinho, existem infinitas formas de dispor as flores. Só aqui em casa, eu tenho: vasinhos de lata pintada comprados em lojinhas chinesas, garrafas bonitas de cerveja gourmet com flores solitárias, um vaso branco grande bem rococó que veio da casa da minha avó, um vaso grande de barro com flores maiores… mil e uma ideias!

Eu acho que quanto mais criativa a disposição das flores numa decoração, mais eu me sinto aconchegada naquele lugar. É como se a pessoa que colocou a flor ali pensasse “como eu vou dar um toque de alegria pro dia de quem passar por aqui?” – um carinho que a gente sente só de olhar!

Agora, se vocês são como eu, meio estabanadinhas, devem achar o maior pepino cuidar de vasos ou hortas, né? Eu acho, parece que nada sobrevive às minhas mãozinhas. Por isso mesmo, fui obrigada a aprender algumas coisas sobre casas floridas.

O primeiro truque é não comprar uma flor sem pesquisar sobre os cuidados. Meu apartamento pega pouco sol e é muito gelado, então flores de verão, por exemplo, não rolam aqui. Pelo que minha amiga Rô me contou, o que eu preciso são Begônias.

Também é válido prestar muita atenção no quanto de água que a flor precisa. Muita água e pouca água dão na mesma, sabia? A florzinha morre e não tem como recuperar.

Tem mais: flores trazem perfume e o perfume nem sempre é boa ideia. É claro que uma casa com perfume de rosas é um sonho, mas preste atenção às suas alergias. Ah! Tem outra coisa: o perfume nem sempre é bom! O lírio chiclete é um belo exemplo disso: ele é lindo, mas o cheirinho não é de primavera feliz, não…

Por último, um trucão master pra quem gosta de grandes arranjos: sabe quando você vai arrumar flores soltas no vaso e, opa, elas ficam desmilinguidas, caindo pro lado, sem “encher o espaço”? Olha só a solução:

como fazer arranjos grandes

Ah, que demais, hein?! Pra salvar na pastinha de inspirações e nunca mais esquecer dessa dica!

E vocês, gostam de manter flores em casa? Tem algum trucão pras meninas durarem mais? Gostam mais de alguma flor específica?

Publicado em Decoradinho | Marcado com , , , , , , , | 5 Comentários

Saia plissada e saia de couro na liquidação C&A

Gente, que milagre! Fazia tempo que não encontrava coisas bonitas e compráveis e, de repente, duas na semana. Os ventos estão favoráveis!

Ontem dei uma passadinha na C&A do Shopping Mueller pra conferir a liquidação e me surpreendi. Achei que tá tudo tão bacana – roupas bonitinhas e com preços razoáveis do jeito que tem que ser.

Levei coisinhas pra casa:

não, eu não tenho só esse cardigã e uso ele todos os dias – é o mesmo dia do post de ontem, haha

A primeira saia é de couro fake, uma graça. Ela tava R$ 29,90 e eu já tinha visto no Futilish da Cony, por R$ 79,90 antes de ser remarcada.

A outra saia plissadinha estava por R$ 19,90 e eu provei mais por desencargo de consciência, já que essas saias plissadinhas costumam ficar horrendas no meu gigantesco derriére. A surpresa do dia foi o caimento perfeito. Com esse preço, vale a atenção, né?

Eu ando bem controlada com compras. Pra falar a verdade, fazia tempo que não encontrava nada que realmente quisesse comprar – quase 2 meses que não sentia vontade. Acho que anda tudo tão feio, mal acabado e descartável (ou muito, muito caro) que realmente num rola uma euforia. Não que isso seja ruim – realmente acho que comprar demais é uma forma de encobrir frustrações e que a gente não precisa de tudo isso. Sou mais feliz sendo exigente do que descontrolada. Sou só eu que me sinto assim?

Essa semana, por coincidência, fiz compras em duas fast fashions gastando menos de R$ 120 e levando 4 peças pra casa. Isso é mais do que o triplo do que gastei em roupas nos últimos 2 meses juntos. Acho que é o sabor da vitória e cura do meu consumismo aliado a prova de que procurando bem a gente ainda acha lugares pra comprar roupas bonitas por preços legais. Aliás, se você não viu o outro post de compras, corre aqui.

Vocês tem dicas de pechinchas bacanas pra compartilhar por aqui? Se vocês acharem legal, podem me enviar e eu publico!

Publicado em Modinhas | Marcado com , , , , , , , , , , , | 11 Comentários

Make de bonita

Esses dias uma pessoa me reclamou que eu nunca mostro maquiagem. Eu sou mais das modas do que dos makes mesmo, mas isso não me impede de dar minhas pavoneadas por aí, né? Geralmente, eu uso o mesmo make todo o dia que é basicamente esse:

Nessa exata foto, o delineador é o em gel da Boticário da última coleção. Eu achei bem chuchu, não senti diferença do Fluidline MAC, exceto pelo tiquinho que vem no pote. Mas, como rende pra caramba, isso nem chega a ser um defeito.

O batom é o Lady Danger da MAC. Eu costumo alternar entre ele e o Ruby Woo da mesma marca. Quando canso muito de batons vermelhos (nunca) uso um nude do Boticário ou um salmãozinho de alguma marca qualquer.

A máscara acho que é a Magnify da Avon. Eu não ligo muito pra máscara porque tenho cílios grandes, uso a que tiver na mão, geralmente Avon porque é uma marca boa e barata.

Se vocês tiverem curiosidade sobre a base (eu já digo que acho isso bobeira porque cada uma sabe da sua pele) a minha é a Diorskin Forever. Ela fica bem pesada, então uso só uma gotinha pra todo o rosto e às vezes diluo em água termal pra dar um xablau mais leve. Alterno minhas bases entre essa e a Intense Mate do Boticário, mas, como o Botica resolveu me magoar e tirar de linha, to sofrendo e de mal.

E blush, eu costumo usar um bronzer qualquer. Esse é o Pérolas de Efeito Bronzeado da Avon, que a Sabrina já resenhou com mais propriedade.

Ufa, hoje eu to falando pra caramba, né? Gostaram do make? Quero saber o que vocês acham de posts sobre o tema porque eu não entendo muito mas gosto de dar meus pulos.

Publicado em Bem bonito | Marcado com , , , , , , , | 5 Comentários

Look do dia: bermudinha menta e listras irregulares

Bora espiar meu luqui du diã? Assim como disse no meu post anterior, o veranico continua reinando em Curitiba. Hora de estreiar a bermudinha de cintura alta que Sheilloca me deu de presente:

Fofura de bermudinha, né? Eu combinei ela com o cardigã de listras irregulares da Sul Center desse post aqui, Molecas floridas bem delicadas, uma blusinha básica da C&A e um cinto pink da 284 que uso pra caramba.

Aliás, falando em Moleca, esses dias a marca me mandou 3 pares da coleção de verão de presente pra eu montar looks pra estação. Eu sou apaixonada por flats e sapatilhas, tenho váaarias, e acho as da Moleca super confortáveis e engraçadinhas. Olha os pares que eu ganhei:

Os looks que eu montei estão na revista da Moleca desse mês, mas eu ainda não vi. Se alguém encontrar por aí, fotografa e me manda?

Publicado em Tô bonita? | Marcado com , , , , , , , , , | 9 Comentários